Hugo Carvalho lamentou, esta quarta-feira, que os portugueses estejam a ser expostos a um “espetáculo de contradições” entre o Primeiro-Ministro e o Ministro das Infraestruturas, sobre os apoios a prestar à TAP, sem que o governo dê uma resposta aos pedidos da empresa.Segundo o social-democrata, contrariamente ao que se passa com companhias aéreas de outros países, não há nenhum plano de recuperação da TAP e “o governo continua sem dizer ao que vem.”O deputado recordou que foi o governo de António Costa que escolheu recuperar 50% da empresa, escolheu não participar na sua gestão, escolheu ter uma empresa privada, mas também pública, tudo em nome de um serviço público para todo o país.

Pelo caminho, adianta Hugo Carvalho, “o governo foi dizendo que os resultados da empresa eram de criticar, mas mantinha o apoio à gestão. Foi defendendo um serviço público nacional, mas vive bem com uma empresa que cada vez faz mais lembrar os Transportes Aéreos de Lisboa, pela forma como desconsidera o Porto, Faro, Madeira e Açores.”Este cenário levou o deputado a questionar se o governo recuperou mesmo o controlo público da empresa.